Diário da minha tortura #3

Eis que aqui estou eu, um mês depois de ter arrancado dois sisos de rajada e um dia depois de ter arrancado o terceiro (e último)!

Posso dizer que a vantagem disto tudo é que estou ligeiramente mais leve na balança porque vocês não estão bem a ver o tamanho daqueles dentes. Aquilo não eram simples dentinhos, aquilo eram dentes de cavalo enterrados da forma mais vil e intrincada na mandíbula que até as raízes estavam tortas. Arrancar dentes até tem a sua piada, desde a língua dormente que parece um naco de carne que não me pertence, como a dar por mim a babar-me que nem uma atrasada mental como ficar com a cara inchada que dá vontade rir mas não nos podemos rir porque dói.

Descobri que finalmente o Estado fez alguma coisa de jeito! Então, enquanto eu admirava os resquícios do meu parto indolor perguntei à dentista se podia ficar com os dentes para recordação! Disse-me que não podia, uma vez que, o Estado passou a considerar os dentes como órgãos e, como tal, teriam de ir para destruição! REJUBILO E ALEGRIA! Então está descoberto o porquê da epidemia de dentes de ouro nos fios e brincos ter terminado! É que já vai tarde porque a minha pessoa teve a triste sorte de andar com um dente pendurado numa argola, tal e qual, uma chunga! Sabem lá vocês aquilo que me custou andar com aquilo pendurado na orelha, o dente era leve mas a vergonha que eu ostentava pesava 5kg. Mas isto para dizer que os sisos comeram-me 210€ e não os pude trazer comigo!

Andei eu a criá-los, a despender de tanto cálcio e a esfregá-los para ficaram bonitos e brilhantes para ao fim de 31 anos arrancá-los! Ah... a ironia do destino!

8 comentários:

  1. é muito sofrimento...
    Eu fazia um colar e usava-o com orgulho! ;)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Já viste o caro que ficava? É que para cumprires a tradição os dentinhos tinham de ter um coto em ouro :D

      Eliminar
  2. O Estado a zelar pela nossa aparência ;)
    Os meus dentes do siso ainda não me deram problemas... vamos lá ver até quando ficam assim sossegadinhos! :P

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Os meus nunca me doeram. Só que lentamente começaram a empurrar todos os outros para a frente e pronto, os dentes começaram a encavalitar. Bah... só coisas para torrarmos o guito!

      Eliminar
  3. 31 anos.
    Claro, já nasceste com eles, olha quem.

    Pá, mas andaste com o dente na argola porquê?? Tinhas uma arma apontada à cabeça?

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Quase. Levava um tabefe da minha mãe que nem sabia de que terra vinha!

      Eliminar

Opina aqui qualquer coisinha!