TWD - Confidencial

Jovem!
Tu que ainda não viste o episódio de Walking Dead e ainda não queres saber porque és um chorão(a) que não aguenta a violência afasta-te neste preciso momento deste blog porque eu, em termos técnicos e concisos, vou chibar-me toda! 
Maneiras que cá vai disto: morreram dois gajos e nenhum deles era preto! Pimbas!

Para começar, notou-se claramente que o Abraham andava de relações cortadas com o realizador, desde que lhe pediu um aumento no orçamento para ir à Lúcia Piloto pintar o cabelo e o realizador fez-lhe um manguito e mandou-o ir ao Continente comprar a tinta da L'óreal que estava com 10% em cartão! O Abraham recusou-se, disse que estava a ficar com peladas e que, às vezes, ficava com a testa manchada de vermelho e o realizador: cai vai disto e fez-lhe uma pintura permanente nos cornos!

Antes de por já a boca no trombone sobre a segunda morte queria antes deixar um pequeno apontamento ao realizador e neste pequeno apontamento digo:
Até que enfim que matou uma das pessoas que compunha o casalinho romântico-mete-nojo da série!
Parto do princípio que se estou numa série de zombie eu quero é mortes e o expoente máximo de romantismo pode ser 5 minutos de necrofilia e, mesmo assim, já me deixa com o vómito a assomar à goela!

Claro que eu preferia que quinasse a Maggie mas consta por aí que o Glenn não deu desconto no restaurante chinês dele e o realizador pesou isso na balança, juntamente com as tetas da actriz que faz de Maggie e tomou a decisão dele. Porque é que acham que lhe saltou um olho no episódio?! Foi a maneira do gajo dizer que quem quer ser de olho grosso fode-se à grande!

Agora digam lá que eu não sou amiga em partilhar estes informações altamente confidenciais convosco?! Eu valho milhões.

Cenas do Fitness #4

Isto do fitness é um espetáculo! Atenção que isto é o que circula por aí mas que eu ainda não consegui apurar a veracidade destas declarações mas acreditando que seja verdade vou partilhar com a minha gente os exercícios que me causam arrepios na espinha mas que eu faço à mesma porque sou casmurra!
O truque é nunca desistir e o estado mental, acreditem ou não, é o que puxa os cordelinhos à coisa e eu puxo os cordelinhos de tal maneira que a minha consciência adora falar comigo mesma para me distrair da "dor" dos circuitos de HIIT (High Intensity Interval Training) que dito assim parece giro mas traduzido para português é qualquer coisa como Isto-É-o-Mais-Próximo-de-Morte-que-Vais-Sentir-Hoje.
Antes de mais todos os meus exercícios começam com um revirar de olhos e um suspiro sempre que reparo que na lista dos exercícios que vou fazer naquele dia consta um dos que estão abaixo.

Flexões: Sempre que faço uma acho que me vai saltar um olho, rebentar uma veia e cuspir o fígado com o esforço!

V-Ups: Vou peidar. Não peidei. Vou peidar. Não peidei. Vou peidar. Peidei!!!

Squats (agachamentos): Não gosto! Parece que estou sempre a preparar-me para fazer um cócó mas que afinal perdi a vontade! É um exercício monótono mas sinto logo a peida rija, por isso, gosto. É uma relação amor-ódio com molho agridoce à mistura.

Mountain Climbers: para aqueles que pensavam que correr é difícil experimentem uma simulação de corrida mas em prancha, no chão e sempre a mexer as patas! Façam isto no pico do Verão durante um minuto e, a seguir, marquem logo o 112 pela vossa saúde.

Lunge Jump: dói a perna, dói o rabo, o equilíbrio foge, o mundo parece um lugar negro, obscuro e às vezes dá vontade desatar aos pontapés a tudo e desistir.

Warrior Deadlift: Nome super caro que me faz sentir uma samurai com nalgas de aço! Elas dizem um olá efusivo e os gémeos choram efusivamente. No dia seguinte é andar novo garantido e se fizer isto com pesos à mistura nem sentar na sanita é viável.

Tricep Dips: Chato! Aborrecido! Dá vontade de ir à missa mas HEY! Não há músculo do adeus que resista!

Saltar à corda: E levei com a corda nos cornos! E levei com a corda nas costas! E levei com a corda da cara! E pisei a merda da corda... não há maneira de dominar a técnica sem me auto-infligir vergastadas.

Russian Kicks: OMFG!!!

Burpees: Lembra a palavra 'arroto' em inglês mas dá-me é azia! Quando pensamos que não há pior vem algo para acabar com a nossa esperança! Uma conjugação de movimentos que dá vontade deitar no chão e começar a chorar.

Todo o tipo de Pranchas: A sensação mais próxima do que é ter Parkinson mas sem ter Parkinson!

E agora não sejam pussys e levantem o nalguedo do sofá e façam algo por vocês que é exactamente o que eu vou fazer! Vou buscar umas bolachinhas ali ao armário que estou cheia de fome!

* Usei uns termos em inglês não se vá dar o caso de alguém, na loucura, querer ir pesquisar e assim é mais fácil de encontrar os exercícios. 

Diário da minha tortura #3

Eis que aqui estou eu, um mês depois de ter arrancado dois sisos de rajada e um dia depois de ter arrancado o terceiro (e último)!

Posso dizer que a vantagem disto tudo é que estou ligeiramente mais leve na balança porque vocês não estão bem a ver o tamanho daqueles dentes. Aquilo não eram simples dentinhos, aquilo eram dentes de cavalo enterrados da forma mais vil e intrincada na mandíbula que até as raízes estavam tortas. Arrancar dentes até tem a sua piada, desde a língua dormente que parece um naco de carne que não me pertence, como a dar por mim a babar-me que nem uma atrasada mental como ficar com a cara inchada que dá vontade rir mas não nos podemos rir porque dói.

Descobri que finalmente o Estado fez alguma coisa de jeito! Então, enquanto eu admirava os resquícios do meu parto indolor perguntei à dentista se podia ficar com os dentes para recordação! Disse-me que não podia, uma vez que, o Estado passou a considerar os dentes como órgãos e, como tal, teriam de ir para destruição! REJUBILO E ALEGRIA! Então está descoberto o porquê da epidemia de dentes de ouro nos fios e brincos ter terminado! É que já vai tarde porque a minha pessoa teve a triste sorte de andar com um dente pendurado numa argola, tal e qual, uma chunga! Sabem lá vocês aquilo que me custou andar com aquilo pendurado na orelha, o dente era leve mas a vergonha que eu ostentava pesava 5kg. Mas isto para dizer que os sisos comeram-me 210€ e não os pude trazer comigo!

Andei eu a criá-los, a despender de tanto cálcio e a esfregá-los para ficaram bonitos e brilhantes para ao fim de 31 anos arrancá-los! Ah... a ironia do destino!

Trabalho num manicómio #3

Todos nós temos uma Gina na nossa vida!
Ora a Gina é aquela colega que vem de outro departamento para nos "ajudar" mas que assim que lhe pomos os olhos em cima dá-nos uma vontade incontrolável de a cumprimentar à chapada.
Dá também vontade de agarrar numa rebarbadora e enfiar-lhe aquilo pela goela abaixo e arrancar-lhe a camada de tártaro pré-histórica que tem nos dentes e também os próprios dentes. Se ficasse sem língua era um bónus, já que não diz nada de jeito.
Mas chega de falar mal da Gina e vamos aos factos! Esta moça é a típica brega que em vez de canalizar o pouco dinheiro que tem para cuidar da sua saúde prefere fazer tatuagens com o nome do futuro-esposo e uns símbolos manhosos pela coluna abaixo e que faz questão de mostrar a quem acaba de conhecer levantando a camisola e mostrando os papos gordos e cheios de borbulhas misturados com tinta. Houve já casos relatados de conjuntivite aguda e acessos de suícidio após verem o espectáculo de sebo que ia por aquelas costas! 
Porém, nem tudo é mau! O facto de ela ser uma mentirosa patológica tem as suas vantagens porque está sempre a faltar: ou de infecção urinária, ou de amigdalite, ou de um pé torcido, ou de que estava a deitar leite pelas tetas (juro-vos que é verdade!!!) e que estava a ter um aborto. O que vale é que existem muitas doenças o que lhe permite renovar o stock de petas!
Maneiras que eu continuo a dizer que gostava de conhecer a pessoa que faz o recrutamento e dar-lhe um aperto de mão no pescoço porque está mais do que visto que não dá uma para a caixa.
Ahhhh como eu adoro lidar com pessoas...

Diário da minha tortura #2

Há quem use aparelho porque é moda e há quem não queira usar nem pela lei da bala mas as forças inevitáveis e brutais do destino obrigam a usar e claro, eu não seria eu senão estivesse inserida na segunda categoria.

Mas esta história não é de agora. No ano anterior a conhecer o sapateiro dentista que me traumatizou eu tinha usado aparelho móvel mas não completei o tratamento e não foi pelo bullying de ficar a falar à sopinha de massas mas sim por uma cena muito "engraçada" chamada tosse convulsa em que, num momento estava bem e no seguinte desatava a tossir tanto, e fazia tanto esforço de tal forma que acabava por vomitar. Foram seis meses divertidos em que os medicamentos e exames passados pelos médicos não faziam nada e eu sempre ali a modos que a quinar e a modos que a vomitar.
Nesses seis meses não usei o aparelho e o trabalho ficou a meio caminho. Pelo menos, puxou-me os incisivos laterais para fora e alinhou com os restantes dentes de cima mas os de baixo continuaram desalinhados, encavalitados e a mordida nunca ficou alinhada.

Maneiras que após o choque inicial de todo o processo que teria de fazer aos dentes e de fazer luto sobre a morte das minhas poupanças lá fui eu fazer radiografia e no meio desta desgraça toda há, pelo menos, uma boa notícia! Só tenho três sisos porque o quarto nunca quis comparecer à festa o que é uma notícia digna de se festejar porque a cirurgia de um siso incluso só é a módica quantia de 120€ e eu já estava a considerar tornar-me acompanhante de luxo só para sustentar estes luxos todos.

Diário da minha tortura #1

Nunca partilhei isto convosco porque eu não gosto de dar a conhecer as minhas fraquezas.
No geral, vendo a imagem de uma tipa forte mas que, no fundo, no fundo é uma granda cagona!
Pois que a minha pessoa tem fobia a dentistas. É verdade! E tudo graças a um sacana de um ferrador de cavalos disfarçado de dentista que me arrancou um molar quando eu tinha 13 anos.

Sacana esse, que me fez guinchar que nem uma égua enquanto é montada. O problema é que foram guinchos de dor e que me marcaram de tal forma, que, enquanto escrevo esta frase até sinto arrepios na coluna por causa daquele grande cabrão. Espero que o karma lhe mande uma belinha com força na nuca e ele bata com os cornos na mesa e parta a cabeça!

Adiante, que eu não gosto de desejar mal a ninguém!
Isto para dizer desde essa altura e até agora que nunca mais pus os pés num dentista mas no meio deste drama todo, decidi que eu sou mais forte do que o meu medo (ou pelo menos assim quero pensar e quem diz o contrário é maricas!) e marquei consulta numa clínica para um checkup dentário.
Se eu soubesse para o que estaria guardada tinha ido abastecida com um pacote de lenços para chorar à vontade.

Diagnóstico: aparelho FIXO, porque nunca é tarde para ter andaimes nos dentes e sofrer de bullying. Arrancar os dentes do Siso que na data não se sabia se eram 3 + 1 incluso. Destartarização e umas limpezas às cáries.

Depois logo vos conto o resto que isto é muita emoção para ser contada assim de rajada num único post.