Didi em mais uma decepção cinematográfica

Eram meia noite e picos do dia 22 quando decidi que ia ver o filme Ninfomaníaca já que toda a gente falava dele. Uns porque é chocante ver como a dependência do sexo afecta a vida social, outros pela decadência, outros porque a gaja era bem boa e ainda outros para ver nabos com a cabecinha de fora. Não sou fã incondicional do Lars von Trier, gosto de uns e desgosto de outros por isso arrisquei já que pelo menos a concordância geral é que era um filme de génio e eu ia ver umas quantas berlaitadas pelo caminho.
Vi o volume I e depois de seguida vi o II. Deitei-me às quatro e tal da matina sem saber na realidade se gostei ou não, mas no geral achei-o um bocado parvo.

Então uma tipa que fornica incansavelmente com quase todos os homens à face da terra, envereda pelo sadomasoquismo e leva grandes cargas de açoites nas nalgas, tem relacionamentos lesbianos pelo caminho e depois no final após descrever o percurso da sua vida a Seligman (que é um homem assexuado) a quem confessa que fez um bóbó a um pedófilo por pena e no fim mata o Seligman porque ele quis descobrir o que era o sexo, encostou-lhe a gaita à nalga e ela lembrou-se que ai ui agora já não queria fornicar mais até ao fim dos dias, queria ser pura e casta com o pito e o olhinho todos esbardalhados e mata-me o gajo.
Mas que grande pega. Então o homem esteve ali todo o santo filme a ouvir a conversa de encher chouriços dela para no fim querer dar-lhe com o salpicão e ela faz-lhe isto? Em boa verdade vos digo que um homem que tem a paciência para aturar a lenga-lenga duma mulher durante quatros horas merece o maior regabofe de todos os tempos. E aquela jumenta não foi capaz de dar uma berlaitada por caridade a um velho que nunca tinha experimentado pito?

Com isto tudo tenho a agradecer às minhas amigas de escola porque a Joe (aqui retratada como uma pega sem coração) iniciou-se no mundo da fornicação massiva porque a amiga apostou um saquinho de berlindes de chocolate a quem conseguisse pinar com mais homens no comboio. Ora, ela teve cinco pontos e ganhou mas tenho cá para comigo que se me abanassem um caixa de uma pizza familiar à frente do nariz não sobravam homens na Terra para contar a história.

37 comentários:

  1. Desisti a meio do volume I. Estava a ser merdoso.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. O que ela escolhia e a forma como ela escolhia para o tema do capítulo só me dava vontade de rir.

      Eliminar
  2. Respostas
    1. Ah obrigadinha :-) Bem vindo e volta sempre.

      Eliminar
  3. eu adorei o filme, diferente de tudo o que vi até hoje.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Fez-me muito lembrar o Shame. Demasiado parado, com guião para engonhar, no entanto, dou os parabéns à fotografia do filme que está de facto fantástica. Mas esperava, mais :-(

      Eliminar
  4. Mmmmm, não me parece que vá ver!
    Para já, esse Lars escreveu o Melancholia, o filme mais horroroso e chato da história do cinema... e depois escreveu o Antichrist, que ainda não tive coragem de ver pois reza a lenda que se vê o Willem Dafoe a mandar berlaitadas. E eu não sei se estou preparada para ver o Willem Dafoe nu!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Vá este é melhorzinho ao Melancholia, mas não deixa de ser um bocado chato. Fui induzida em erro pensei que o filme era uma pouca vergonha hardocore e na volta era um filme quase fofinho.
      Ah, neste filme entre a Uma Thurmar que simplesmente faz o papel mais parvo de todos os tempos, compreendo que uma mulher abandonada pelo marido fique meia louca, mas ela parecia que estava mesmo a gozar era com quem estava a ver o filme.
      O Willem Dafoe torna a aparecer, mas tem as calças vestidas, por isso, estes podes ver em segurança.

      Eliminar
    2. Naaahhhh! Acho que estou bem assim, sem ver coisas quase fofinhas! Se é para ver hardcore então faz-se uma bela pesquisa na net. eh eh eh eh!

      Eliminar
    3. Tá bem. Mas esses nunca têm muita história. É chegar uma gaja com mini-saia a um consultório médico e dizer 'xôtor, dói-me aqui' e quando dás por ela já tá em cima da mesa a pimpimpim. Eu quase que já sei os guiões de cor. Ao menos esperava que este fossem badalhoco mas com cabeça, tronco e membros. Na volta nem uma coisa nem outra ahhaah

      Eliminar
  5. ahahahahahhaha...uma pizza familiar? Também fiquei a pensar. lol

    Em relação ao filme, tb vi e não gostei. E o final sem duvida foi parvo, ela que fornicava com tudo, foi incapaz de dar uma colher de chá a alguém que queria experimentar. lol

    Gostei foi da tua síntese, achei-a bem mais deliciosa!!!

    :))))))))))))

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. É não é? Porra. Era uma misericordiosa, só lhe ficava bem e aí sim reformava-se. Eu juro que quando o filme acabou eu disse "dafuq" e comecei a rir-me. Pareceu-me assim de repente uma britcom, aquele humor negro que tem piada.

      Eliminar
  6. Foi o meu pensamento: então tanta coisa e agora o homem, que até tratou de ti e tudo, vais-lhe fazer uma coisa destas?
    No entanto, gostei do filme. Acho que tem muito sumo para se lhe tirar e, se tive decepção, foi por não me ter chocado, conforme anunciava meio mundo. Mas isso se calhar já é a minha mentalidade que está mais receptiva a choques. Não me chocou o Ninfomaníaca, como não me chocam os livros do Saramago "contra" a Bíblia... Gera-se tanto hype que depois me desiludo.
    Em todo o caso... é bom ver que há mais gente no mundo que, por comida a sério, faz de tudo!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Exacto. Também eu esperava algo que me chocasse, mas não. Talvez por eu aceitar tudo demasiado bem, acho que o corpo é de cada um e cada um faz o que quer dele, desde que não interfira com a liberdade de outrem.

      Eliminar
    2. Exactamente. Ah... mas tive outra desilusão: o pouco tempo de antena da Uma Thruman. Para fazer aquele papel, arranjavam outra pessoa menos conhecida e o orçamento ia ser mais facilitado.

      Eliminar
  7. Oh Didi só tu :D Devias ganhar o prémio da melhor critica ao Ninfomaníaca !

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. É isso. Vou copiar isto no Google Tradutor e foi pôr no Imbd, isto é que era de menina eheh

      Eliminar
  8. Ainda não vi e os filmes dele costumam-me irritar a meio...então não me cativou. Mas agora que li este resumo deu-me vontade de ver nem que seja para rir...e é louvável que tenhas visto os 2.
    (essa aposta no comboio foi algo de muito elaborado xD)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Eu só critico com conhecimento de causa :D E até porque se não visse o final possivelmente não ia escrever uma crítica tão boa :D

      Eliminar
  9. Ai Didi, que gargalhada. Tu tens jeito para crítica!!!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Acho que o Lars von Trier é capaz de não ser da mesma opinião ahaha

      Eliminar
  10. Só tu Didi Maria, eu nem quero ver, não vá dar-me uma vontade louca de foder e ainda acordo os vizinhos.

    Uma pizza????

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Podes ver tranquila Vera, porque se há coisa que o filme não dá é vontade de pinar. Achei as cenas de sexo tão aborrecidas que até acho que o National Geographic mais explícito.

      Eliminar
  11. Respostas
    1. Ah pá. Já o pessoal no trabalho queixa-se do mesmo. Mal entro pela porta adentro só vejo pessoas a taparem os ouvidos e a dizerem lá-lá-lá-lá-lá.

      Eliminar
  12. Oh Didi, estou triste. Pois que gostei imenso do filme. Mais do volume I que do II. E fez-me todo o sentido ela ter não ter entregue a nalga ao pervertido que lhe entra pelo quarto dentro para a pinar depois de tanto tempo sem dormir...

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Opa, mas o pervertido não era pervertido. Ele nunca tinha experimentado sexo e só queria ver como era. Até porque uma tipa que vai para casa de uma pessoa que não conhece, conta aquelas badalhoquices todas não pode esperar boa fé de seguida. E muito respeito teve ele sempre a tentar compreender as escolhas dela. Era uma queca miserdicordiosa, tinha-lhe ficado bem :D

      Eliminar
    2. Era um tipo assexuado, quase. Era continuar a ser e a fazer metáforas com peixes e e patos e tinha acabado o filme vivo ;)

      Eliminar
    3. Ele queria era uma metáfora sobre enfiar a cobra na gruta escura e húmida. Olha... lixou-se loool

      Eliminar
  13. E ainda não vi e mesmo assim não resisti em ler o teu post até ao fim! Demais!!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Agora vai ver o filme :D para ver ser és da mesma opinião. Eu fiquei com pena do hôme.

      Eliminar
  14. já não tinha vontade de ver... agora menos ainda!

    amei o blog.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Agora é que tens de ir ver, que é para te rires um bocadinho com a parte final :D
      Bem vinda e volta sempre :)

      Eliminar
  15. "Em boa verdade vos digo que um homem que tem a paciência para aturar a lenga-lenga duma mulher durante quatros horas merece o maior regabofe de todos os tempos. E aquela jumenta não foi capaz de dar uma berlaitada por caridade a um velho que nunca tinha experimentado pito?"

    Poupaste-me 4 horas da minha vida.. detesto este tipo de injustiças, até mesmo em filmes!!

    :D

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Mas vê Isa. Só podemos criticar depois de ver e no fim diz-me se também tu não te sentiste usada pela Joe. Não foi nada comigo e eu fiquei chateada, vê lá tu!

      Eliminar
  16. É que agora nem tenho pachorra para ver o dito filme...4 horas de lenga-lenga ??? eiiishhh

    ResponderEliminar
  17. Mas que grande gargalhada com esta última frase! Essa "lairona" ainda levou poucas!!!...lol

    ResponderEliminar

Opina aqui qualquer coisinha!