A vida em flashback

Das recordações que mais me lembro da minha juventude, a seguir a apanhar porrada com a colher de pau por roer as unhas, era ver os Ficheiros Secretos às quartas na TVI. Também gostava muito de ver às escondidas os filmes badalhocos que davam de madrugada e ainda hoje tenho pesadelos com a Orquídea Selvagem, mas isto já são outros quinhentos.
Nunca perdi um episódio, mesmo estando de castigo via pela fresta da porta entreaberta. Ainda bem que nunca fui apanhada porque senão para além de apanhar outra vez no lombo perdia o episódio e isso é que me chateava. Quem é que precisava de amigos quando tínhamos os Ficheiros Secretos? Ninguém. Por isso mesmo ainda hoje sou anti-social e quero acreditar que existe algo mais.
Maneiras que hoje ao atender uma tipa veio-me à recordação o nono episódio da segunda temporada, de seu nome Firewalker. Isto porque era um episódio onde uns cientistas tinham sido contaminados com uns fungos que às paginas tantas enchiam-se de nhanha e rebentavam, contagiando quem estivesse em contacto com os esporos. Ainda me lembro da Scully à rasca para não levar com o espirro do esporo na tromba refugia-se atrás de uma porta de vidro e não é contagiada. Durante muito tempo acreditei que um gajo a ter um orgasmo era quase assim, sujava tudo no espaço de um metro, depois de crescer aprendi que não, assim como aprendi que as colheres de pau têm outras utilidades, como por exemplo, imagine-se, cozinhar.
Mas tudo isto para dizer que estava a atender uma matrafona que tinha a beiça de tal maneira inchada com herpes que parecia que tinha um berlinde pendurado no lábio cheio de pus e eu revi aquele episódio à frente dos meus olhos, e pensei cá para comigo que era agora. Aquilo para que os Ficheiros Secretos nos tinham preparado tinha chegado. A qualquer momento, aquilo iria rebentar e eu estaria preparada.
Por acaso nada disso aconteceu. Fiquei desiludida. Não houve evacuação (excepto à bocado que eu evacuei um bocadinho) e a Scully nunca levou com o fungo do Mulder.
A minha juventude foi uma mentira.

7 comentários:

  1. Respostas
    1. Lembrei-me disso e do cheiro da madeira da colher de pau a bater-me na palma da mão.
      Lembro-me de muita coisa. Pena é que durante a escola o que devia lembrar não me lembrava.

      Eliminar
  2. eu mal sinto uma coceirrazinha no beiço ataco logo com zovirax.. deixar crescer o fungo a esse ponto é não ter espelhos em casa..dasse!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Eu também lhe dou com aciclovir. Apesar de não gostar muito de andar com pomada no lábio, dá um bocado ar badalhoco. Mas sempre acaba mais rápido com ele.

      Eliminar
  3. Respostas
    1. A quem o dizes. A mulher a falar comigo e eu não conseguia desviar os olhos do beiça.

      Eliminar

Opina aqui qualquer coisinha!