O meu querido chaçomobile

Eu admito que sempre fui uma tipa com um fraquinho por latas velhas. Há quem goste de andar montado em grandes carros mas o que eu gosto mesmo é que me montem e de andar com carros podres. Passar por grandes máquinas encostadas à berma da estrada com a centralina avariada, ou porque aqueceram um bocadinho mais do que é suposto e eu a passo por eles a cagar lume a vinte à hora.
Adiante. Uns cem anos depois tirei a carta e também eu arranjei um chaço amoroso com quem compartilhar o meu coração. Um Twingo com um médio e um stop fundido e a luz do habitáculo também fundida. Sem o tampo da gasolina, com uma teia de aranha de estimação no espelho retrovisor lateral e um sem fim de riscos do lado direito, fruto da condução espectacular do meu avô (pensavam que tinha sido eu, não?) Um vidro que se o baixar totalmente quando está muita humidade já não fecha sem o carro aquecer, por isso conseguem imaginar no Inverno gelado eu de janela aberta a apanhar com chuva e vento na tromba? Conseguem? Ainda bem. Porque eu fico tão gelada dos miolos que não consigo.

Mas uma coisa o meu carro tem que muitos topos de gama não têm (quem disser o contrário, agradeço que deixe o e-mail para que eu possa ofender). Se eu ousar abrir uma porta e tiver os faróis acesos, o meu twingo desata numa chiadeira que acorda a malta daqui até ao Paquistão. Pode ter muitos defeitos, mas nunca me deixará pendurada por falta de bateria porque no dia anterior me esqueci de desligar as luzes. É mais que óbvio que o Michael Bay se inspirou num Twingo para criar o filme dos Transformers.

E porque é que me lembrei duma cena tão desnecessária como isto? Como eu sou uma moça porreira eu até vos digo. É que hoje quando estacionei estava um BMW com as luzes ligadas e eu fiquei orgulhosa da minha latinha que nunca me deixaria fazer uma burrice dessas.
Eu até que poderia andar com o meu Juke. Podia. Mas não era a mesma coisa porque eu sou devota a cenas vintage. Espero que agora que fiz este texto a elogiar o meu Twingonáites o gajo amanhã não se lembre de me desiludir e se entretanto algum dos meus leitores trabalhar no centro de inspecções lembrem-se que eu sou uma tipa porreiraça e não me chumbem o mono.

12 comentários:

  1. true story, o raio dos carros novos arranjam todas as desculpas e mais algumas para desatarem histéricos aos apitos.

    o meu carro anterior, um senhor chaço do tempo da outra senhora e rijo como um bloco de betão, tava mais do que queimado no centro de inspecções. os gajos via-me lá ao de longe e já estavam com o selo vermelho pronto à minha espera.. FDPs!! o truque era deixá-lo numa oficina e o mecânico que se desmedrasse na inspecção :D

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Por acaso o meu fofi sempre que vai à inspecção passa. Os tipos ficam admirados como é que um carro de 95 está num estado impecável. A resposta é "o meu avô tinha medo de conduzir então esteve sempre fechado na garagem" e a malta ri-se e manda-me embora sempre com uma advertência de trocar as lâmpadas fundidas (eu tendo sempre lâmpadas fundidas, é uma cena...).

      Eliminar
  2. Olha que na questão da teia de aranha o meu chaço é exactamente igual, é que não há maneira de conseguir tirar dali aquilo, mas uma vez estava quase a entrar uma abelha para dentro do carro e ficou presa da teia de aranha e eu achei-a na altura de grande utilidade, afinal se a abelha entrasse era bem capaz de me espetar o ferrão.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. A minha teia de aranha de estimação apenas apanha folhas. Não sei como é que a aranhoca sobrevive só a comer folhas, deve andar a dieta :-D

      Eliminar
  3. O meu Pixo também faz esse alarido todo se deixar as luzes ligadas... e se abrir a porta do lado do condutor e as chaves estiverem na ignição também dá sinais de vida! Esquecer-me das luzes é muito provável que acontecesse, agora deixar as chaves na ignição já não me parece!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. O teu é muito mais à frente que o meu. Bem que posso deixar a chave na ignição que ele não se queixa, mas eu logo me lembro porque para o trancar preciso da chave que aquilo tem fecho centralizado (muito à frente a minha latinha de atum).

      Eliminar
  4. Um chaço nunca é um chaço...é um clássico

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. É verdade! Quanto mais antigo mais clássico é :)

      Eliminar
  5. O meu clássico, com os seus 20 aninhos (tem mesmo) nunca me deixou ficar mal, nunca fiquei apeada e nunca reprovou na inspecção ;)

    Mas já cheguei uma vez a casa (saí com o carro "novo"), estando a chover, e o meu carrito estava de luzes ligadas e com as escovas a andar sozinhas, qual carro assombrado xD
    (o vidro da frente era de tal forma antigo e estava tão ressecado que deixou de vedar... um secador voltado para o painel dos controlos - que aquilo é antigo mas tem painel electrónico que é um chaço chique - uma borracha nova a vedar o vidro e, até hoje, zero problemas de electrónica)

    Posso dizer que em 7 anos já troquei 3 vezes de carro mas este ficou sempre comigo. Os outros, entre 1 novo e outros recentes semi-novos tem dado sempre problemas.
    O meu carro mais recente (o último que está comigo há menos de 1 ano), que tem 3 aninhos de existência já andou de reboque, com problemas de electrónica e este, meu chaço, que está comigo há 7 anos foi o único carro que tive que nunca sentou o cú num reboque...!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Isso não é um chaço! Isso é um tanque de guerra :-D.
      Cá para mim o teu mono não estava assombrado, estava era triste por o teres trocado, não se faz :)

      Eliminar
  6. Acabei de ler este post e adorei :) O meu chaço não é um twingo mas sim um lupo ahaha e também herdado, mas da minha mãe. Tenho o vidro do passageiro colado para não cair, porque o elevador avariou o os senhores da VW disseram que a peça custava 150€ então resolvi eu as coisas hihih. E apesar de haver carros melhores em casa também não trocava o meu "cogumelo azul" por nenhum hihi

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. 150€?? Caríssimo. Os senhores da VW devem pensar que somos multimilionários.
      O que vale é que o português é o rei do desenrasque... vamos esperar agora é que os verões não sejam muito quentes senão ainda morres assada lá dentro loool

      Eliminar

Opina aqui qualquer coisinha!