E que andas tu a fazer nas tuas folgas Didi??

Ontem fizemos pela primeira vez uma volta decente, não conto com aquelas que fiz aqui pela minha zona porque não são dignas de registo principalmente porque num dos arranques no meio do monte deu-me um bloqueio do catano e o meu cérebro dizia "arranca" mas as pernas diziam "é que neeeeeemm penses" maneiras que o meu corpo teve um tête-à-tête privado durante meia hora enquanto o Abade berrava lá da outra ponta para eu não ser maricas e me despachar!

Mas ontem é que foi! 13km feitos metade dos quais a levar com o vento de frente no trombil e se por um lado me refrescava por outro cansava um bocado, mas lá chegamos. Esvaziei o cantil, fiz os alongamentos que o mê home me mandou e hoje estou aqui fresquinha das pernas, os entrefolhos é que estão um bocado assados e vou seguir o conselho de quem percebe e para a próxima não levo roupa interior e vai tudo ali à fresca e ao badalo.

Agora estão vocês aí a gozar comigo que 13km não é nada e o camandro, mas em boa verdade eu vos digo que para mim 13km é igual a uma maratona de 500km pois eu não fazia exercício físico à colhões e estou com uma resistência de um caracol recém-nascido!
Já estou a pensar é na próxima volta porque isto até tem a sua piada.

Nunca digas nunca

A última vez que Lisboa e arredores estiveram em perigo foi quando passei com distinção no exame de condução e comecei a vir de chaço para o trabalho, baldeou-se passeios, ia atropelando um peão ou outro, esquecia-me de por gasolina, passava vermelhos, o normal! Entretanto, ganhei experiência fiquei uma profissional e depois achei que queria fazer o Abade engolir as palavras e comprei uma bina.
E pela primeira vez desde há 17 anos que não sentava a rabadilha num selim e caí, logo assim, logo à bruta e de joelho no chão encontrando-me neste momento com o meu joelho a jorrar uma nhanha branca, inchado que parece um trambolho e a ficar ligeiramente roxo, não contando com as nódoas negras novinhas em folha na barriga da perna e na palma da mão que foi contra o chão, porque eu achei que não valia a pena levar luvas uma vez que só ia só dar uma volta pequena aqui na zona para nos conhecermos mutuamente.

Bem sei que talvez não tivesse com o melhor calçado no melhor terreno, porque os gajos tinham sola lisa e o terreno era cheio de areias pequeninas, mas porra, também não era preciso eu cair parada e de lado porque a pata me escorregou e eu tombei para para a esquerda para delicia de um casal que estava dentro do carro a ver-me e a rirem-se que nem uns parvalhões (cabrões, que vos nasça uma figueira no cú) e para espanto do Abade que ficou a olhar para mim como se acabasse de me conhecer e não ficasse com a melhor impressão.

Bina Maria, ainda agora começamos este convívio e tu já me esbardalhaste no chão? Eu gosto de ti e estou a tentar com todas as minhas forças gostar dessa merda que se chama exercício físico porque dizem que é saudável, mas se isto continua assim eu vou ser saudável e é pró caralho!

Reescrever o post anterior

Acho que entrei em morte cerebral. Atenção que eu não digo isto levianamente, é que eu acho mesmo que os meus neurónios foram-se todos, pois desde que o Abade começou a andar de bicicleta que a minha capacidade cerebral diminuiu bastante e atrevo-me a dizer que deve estar próxima do zero porque se antes conseguia construir frases como um ser humano normal agora praticamente só digo "bicicleta".
Isto foi o degredo meus amigos!
O Abade mandou um grande tombo de bina. Deslocou o dedo indicador, ficou magoado das costelas e a pele do cotovelo foi toda ao ar. Mandei vir com ele, gritei com ele, chamei-lhe parvalhão por pôr a vida dele em risco e ainda lhe atirei um "vê lá se não queres que eu te parta a bina toda", isto é uma reacção normal de quem se preocupa o que não é normal é que passado uma semana eu disse-lhe que também queria uma bicicleta para ir andar nos montes!
Maneiras que ao dia 31/07/2013 eu, Didi Francisca, comprei a minha bicicleta, agora resta-me aprender a usar as mudanças porque nunca tive uma bicla com tanto acessório no guiador e ir para os montes e partir-me toda. Estou um bocadinho irritada porque a nível de equipamentos não há quase nada para gaja e logo eu, que gosto de cenas bem pirosas!
Olá, sou a Bina Maria, e adoro quando a minha dona mete a bilha em cima de mim!