Para o que eu estaria guardada...

Acho que o Abade entrou em morte cerebral. Atenção que eu não digo isto levianamente, é que eu acho mesmo que os neurónios foram-se todos, pois desde que começou a andar de bicicleta que a sua capacidade cerebral diminuiu bastante e atrevo-me a dizer que deve estar próxima do zero porque se antes conseguia construir frases como um ser humano normal agora praticamente só diz "bicicleta".
Todo e qualquer tipo de comunicação verbal que se inicia com ele, ele espeta sempre a puta da palavra lá pelo meio, e se ao início até era engraçado agora já se está a tornar cansativo e sem piléria nenhuma, às vezes, já dou por mim a evitar conversar com ele porque sei que se lhe digo alguma coisa como "esta paisagem é linda" ele diz-me "tantos trilhos para andar de bicicleta", mata-me o romantismo, mata-me a boa disposição e já não há paciência, tudo tem piada até ao ponto que enjoa e neste momento sinto-me mesmo mal disposta.
Mas compreendo, se calhar eu estou a ser uma pessoa pouco compreensiva, possivelmente o moço teve um AVC que lhe afectou a capacidade comunicativa e eu aqui a gozar com ele, eu realmente devia era ganhar juízo e levá-lo a um médico para lhe diagnosticar o problema, mais precisamente a um médico psiquiatra.
E só de pensar que eu até andava a ponderar andar de bicicleta, mas se é para ficar assim prefiro ficar uma texuga mas conseguir formar uma frase com 120 palavras sem incluir a palavra bicicleta.
Agora que li este texto apercebi-me que repeti a palavra "bicicleta" quatro vezes! OH NÃO! COMECEI! É o principio do fim, daqui a um mês possivelmente já não consigo sequer abrir uma página de internet e nunca mais conseguirei comunicar com vocês!!!!!

Não se aguenta!

Não aguento mais este bafo que se faz sentir. Quer dizer, até era capaz de aguentar se estivesse de férias e não a trabalhar como a mula que sou. Se calhar até estou com uma menopausa precoce e não sei, o que sei é que estou toda húmida e com o rego do cú abastecido com o rio de água que me escorre pelo lombo abaixo.
Uma pessoa trabalha numa empresa tão conceituada, mas tão conceituada que nem sequer tem dinheiro para colocar um ar condicionado para aliviar os colaboradores, que cabrões!
O ordenado já é uma valente bosta e mesmo assim ainda tenho de ir gastar dinheiro para comprar um borrifador de água para me refrescar no intervalo dos atendimentos, filhos da mãe, haviam de lhes oferecer um borrifador mas era com ácido e borrifar-lhes as trombas!