Vivo no limite

Eu sei, para aí desde sempre, que o xô Nino abomina festas na pança mas eu vivo no limite e gosto de desafiar o perigo e por isso mesmo é que hoje encontro-me com a mão enfaixada. Mas é que eu não consigo mesmo resistir àquelas banhas todas penduradas para o lado e vou logo lá com mãos e faço de conta que a pança dele está a falar comigo... depois olha... mas não aprendo, é só deixar que isto cicatrize e volto a fazer o mesmo que eu cá sou burra teimosa!
Nunca pensei é que cortar alho com os dedos feridos doesse tanto, dói mais do que álcool na ferida, pôssas!!!!

4 comentários:

  1. A viver no limite e sempre a aprender. Para a próxima já sabes, não te aproximas do alho!

    ResponderEliminar
  2. Isso sim é viver no limite!
    ;)
    ehehe


    http://docemarafada.blogspot.pt/

    ResponderEliminar
  3. Se cortares limões, sobes um degrau no perigo!! E nos palavrões também que aquilo dói de caralho!

    ResponderEliminar

Opina aqui qualquer coisinha!