Deprê

Juro-vos pessoal, se o arrependimento matasse eu não já não estava aqui a publicar este post.
Eu ando tão necessitada de uma máquina reflex como de ar. Cometi a burrice de vender a minha Canon 450D porque andava tão chateada com o facto de não ter férias em 2012 que achei que nunca mais iria ter tempo na vida para fotografar, um impulso que agora se paga caro sempre que vou a uma worten e fico ali a carpir as mágoas junto às maquinas fotográficas! E sim, eu sou masoquista faço questão de entrar sempre que posso e só tenho pena é que o expositor das máquinas não esteja junto a uma parede para eu bater lá com os cornos até o cérebro me saltar pela ventas.
Ainda por cima vendi-a uma colega de trabalho que a ofereceu a irmã apenas para a utilizar no modo automático, sempre que vejo as fotos tiradas com ela só me apetece gritar e arrancar cabelos. Que desperdício quererem um maquinão só para as vistas quando nunca irão utilizar as potencialidades dela!
A minha vida agora resume-me a passear pelo deviantART e blogs de fotografia de lagriminha no canto do olho e a recordar a parvalhona que eu sou.

Não se brinca com coisas sérias!

Eu tenho uma perdição. Eu adoro pizza, posso dizer que é uma comida para lá de bonita e boa. Podia comer pizza a todas as refeições que nunca me enjoava... até as pizzas marguerita ranhosas do Minipreço eu papo e peço bis e ai de quem me tire uma fatia, leva com um olhar roga-pragas que já não se levantam da cadeira. Portanto não é de admirar que quando hoje encomendei uma pizza e recebo uma chamada a informar que a encomenda ia demorar mais do que o previsto eu comecei a bufar.
Esperei 40 minutos quando finalmente me toca à porta o estafeta com um ar de quem tinha caído da mota e pede desculpas pela demora mas que a sua motoreta teve um furo e acabou por ter um pequeno tralho!
ALTO E PÁRA O PIPI!
E as pizzas?! As pizzas estão bem? - pergunta a princesa!
Claro que a seguir perguntei por ele mas não me pareceu muito amassado até se estava a rir mas graças aos santinhos que as pizzas não tinham os ingredientes todos tortos e fora do sítio, porque eu sou menina de lamber a caixa por fora caso houvesse algum cogumelo fora do buraco respirador, felizmente não foi preciso porque estavam compostas o que me permitiu manter um bocadinho a dignidade.
Agora dói-me é um pouco a barriga, acho que tenho de começar a ser um ser humano melhor e não meter as pizzas à frente de outro humano, mas porra, eu tenho desculpa... não se brinca com comida e muito menos com pizzas!

A rainha das pesquisas

Numa tentativa de introduzir a minha mãe no mundo encantado da internet e das fantásticas cuscuvilhices da vida alheia (e na tentativa de ter mais um vizinho nos Avengers Alliance) tenho sugerido (impingido) à minha mãe uma banda larga, coisa pouca e baratuxa que ela não precisa de fazer grandes navegações de início, mas como a mulher é unha de fome no que toca a tecnologias tenho tido alguns problemas para a convencer. Então de que é que eu me lembrei? Utilizar a título provisório a net do vizinho para lhe meter o bichinho pois-tá-claro!
Recordava-me vagamente que havia um site fantástico que nos dava as passwords dos routers Thompson mas não me lembrava exactamente como se chamava, então, vai de abrir o google e toca a pesquisar:
Fode-me router;
Fode-me password;
Fode-me como desbloquear router;
Fode-me wifi:
Bem foi para ali um regabofe de fodilhanços que já não sabia para onde me virar, até que me lembrei que o site era o Fodi.me, e lá fui pesquisar outra vez e tudo para descobrir que realmente fodi-me porque aquele site já não é o que era e já não serve para nada. Existem outras maneiras, dão mais trabalho mas lá terá que ser porque eu acho que a minha mãe vai gostar de aprender a mexer no face e eu vou adorar ter um novo vizinho nos Avengers.
Agora que penso... se o Pé-Descalço for ver o histórico e deparar-se com aquela pornografia explícita com router ainda levo é um abrunho no meio da testa!
Olhem vou mazé para a cama que daqui a nada são 4547852156464 posts de gente entendida na matéria a falar sobre os outfits dos famosos e como eu não sou uma gaja fashion vou calçar as meias, encher o saquito de água quente e vou para a cama que eu trabalho minhas fufes! Não sou como vós que teve a peida sentada no sofá durante o fim de semana!

Mais um dia normal...

Eu bem que tento ser uma rapariga certinha e fazer o meu almoço em casa e levá-lo para o trabalho mas a verdade é que Universo conspira contra mim e quer forçosamente que eu coma Macdonalds e outras coisas saudáveis, o Universo quer é ver-me gorda que nem uma porca é o que é!
Epah sinceramente custa-me levantar o cú da cama ainda para mais para fazer comida, mas tenho tentado não torrar muito dinheiro em comer fora, maneiras que estava eu hoje de manhã a cozinhar quando reparo que o bife afinal era grande de mais para mim, corto-o a metade e meto-o no tupperware para arrefecer e metê-lo no frigorífico enquanto a outra metade arrumei na lancheira, mas nisto dá-me uma vontade louca de mijar e vou a correr e quando volto... schulp... o-b-i-f-e-f-u-g-i-u! Nem 3 minutos se passaram! Cabrão do cão comeu o bife! Comeu o bife e nem ares de culpado fez, ainda veio ter comigo de rabalhão a abanar a pedir miminho... olhem, não fosse eu uma pessoa que gosta de animais e tinha-lhe dado um pontapé nas nalgas que ele ia 3 metros para a frente. E fiquei sem almoço para domingo, mas pronto... o menino ficou de barriga aconchegada que é o que importa! Havia de lhe dar uma grande caganeira com as carradas de sal que o bife tinha, que boi!
Mas nada rivaliza com certa vez que fui buscar frango assado. Meti a mesa, ponho tudo em cima dela e vou à casa de banho buscar um elástico para o cabelo e quando me dirijo novamente para a cozinha vejo o senhor Niko a passar por mim com uma perna de frango na boca cheio de tranquilidade, e o gajo ainda amuou comigo quando lha tirei dos dentes!
Portanto... mais um dia em perfeita monotonia aqui por estas bandas.

Medricas!

Por mais trovoadas que oiça na minha vida, por mais pensamentos lógicos que eu tente ter tenho um medo parvo de trovoada. Nem é do relâmpago, que é a parte mais perigosa, mas sim do barulho. Aquela trepidação, aquele tremor grave dá-me sempre um nó no estômago mas hoje tive a melhor tirada de sempre graças a esta minha cagufa!
Maneiras que estava a atender mais um atrasado mental do costume quando cai um brutal relâmpago e eu fico séria, muito séria a olhar para o cliente e desato aos risinhos nervosos, qualquer coisa parva como heh heh heh (parecia que me estava a afogar) e diz-me ele "o que foi?" e digo eu com um à-vontade como se fossemos amigos de longa data "tenho medo de trovoada" e pronto... ele ri-se, eu fico vermelha e encavacada e o assunto que ele vinha tratar não tratou e foi-se embora a rir. Foi divertido. O que não foi tão divertido foi conduzir para casa a trovejar, porque por cada trovão que caia eu mandava uma guinada no volante e uma patada no travão (o que vale é que o caminho é curto), estacionar à pressa, entrar em casa a correr e arrear o calhau porque fico sempre com a caganeira nervosa nestas alturas e neste momento encontro-me escondida por debaixo dos lençóis a actualizar o blog, pode ser que se eu estiver escondida o suficiente a trovoada desapareça!
Que cafuga!

A conversa da vizinha é sempre pior que a minha!

Juro que não ouvi a conversa de propósito mas ainda bem que ouvi porque descobri que a terceira idade consegue ser tão ou mais javardolas que a malta mais jovem.
Estava eu à espera que chegasse o mê home para irmos ás compras quando começo a ouvir as vozes de duas vizinhas e da porteira. Primeiro comecaram a falar daquele cão muito lindo e simpático daquele casal engraçado (eu e o tótó) e depois diz uma delas "ó vizinha já experimentou aquelas folhas que lhe dei para a prisão de ventre?"
Aviso: a seguinte frase é imprópria para gente que facilmente se enjoa com qualquer coisa.

"Oh filha não vale a pena, as caganitas são tão pequenas que parecem as contas dum rosário. Vê lá tu que uma vez até as meti em papel prata e levei à médica para ela ver."
Eu nunca ouvi nada tão violento como isto!!!!! A partir de agora vou olhar para os velhotes com um olhar ainda mais respeitador, sim senhor! Espero um dia ter a coragem de conseguir agarrar num cagalhão meu e mostrá-lo ao meu médico.

Dai-me paciência!

Verdade seja dita nunca fui uma pessoa com um feitio agradável, em alguns aspectos ainda pareço uma criancinha de 5 anos que quando me dizem uma coisa tem de a cumprir senão 'tá o caldo entornado! Ainda me lembro duma vez a minha mãe me dizer eu tinha um ovo Kinder à minha espera em casa e quando lá cheguei não havia nada, andei amuada durante 1 mês. Não sou de chorar, de berrar, de gritar... limito-me a ficar no silêncio e apenas falar o essencial chegando a levar as pessoas à loucura, por isso, quando ontem quando o Abade foi almoçar comigo e me disse que tinha uma surpresa em casa para mim eu fiquei aos pulos por dentro, com estrelinhas à minha volta e outras paneleirices que tais porque já há algum tempo que lhe andava a pedir uma Nikon D5100 e a Worten estava com uma grande campanha com essa máquina que terminava no dia 19.
Quando chego a casa, percorro todos os cantos da casa e pergunto-lhe "Então, a minha surpresa?" e ele me diz "Acreditaste mesmo que te tinha comprado a máquina, estava a brincar contigo!" senti-me como Plutão ao ser despromovido da categoria de planeta, mas ainda assim acreditei que nos últimos minutos antes de irmos para a cama que ele a teria guardado na arrecadação... claro que sim, tenho mesmo uma imaginação fértil (e burra).
Ainda estou para perceber o que é que faz as pessoas serem cruéis umas para as outras por divertimento? Nunca fui assim, de deixar as pessoas na expectativa e depois dar-lhes banhada...  aquilo que ele arranjou foi agora o tratamento do silêncio, a minha foto de perfil toda preta no Facebook (como sinal de luto pelo QI dele que é próximo de zero) e com sorte ainda lhe ponho laxante na comida para lhe dar uma caganeira que ele tenha de se arrastar para ir buscar papel.
Que parvalhão, merecia mesmo que lhe partisse os cornos com um taco de basebol!

Teorias a dois

Durante uma conversa muito culta sobre a flora local:

Didi: "Já reparaste que a palavra seiva rima com meita?"
Abade: "Nop, mas por falar em meita, já bebeste o novo iogurte líquido que compramos?"
Didi: "Não, não vou beber meita, iogurte, queria eu dizer."
Abade: "Mas devias porque dizem que tira as rugas."
Didi: "Ai é?? Dá-me já com o piço na cara!"

Por aqui respira-se cultura!

Que susto!

Faz hoje uma semana que não via o meu trombil reflectido no espelho às 8h30 da matina. O cabelo em pé, a cara inchada, a ramela no canto do olho, as bochechas vermelhuscas e o pensamento lerdo até assimilar que aquela personagem no espelho era eu e não uma maluca qualquer dá-nos logo uma moral do caralho para ir trabalhar.
O cabrão que disse que cedo erguer dava saúde havia de levar com um pau nas costas!

Coisas espaciais

Porra pá! O meteorito era para ter caído era aqui na minha zona. Foi especificamente o que eu pedi ontem ao lembrar-me que hoje seria o meu último dia de férias e que amanhã já iria aturar os mesmos conas de sempre. Nunca me dão aquilo que eu peço, que merda!
Maneiras que após ver os diversos vídeos que circulam aí pela net concluo que possivelmente não ia falecer por levar com ele nos cornos mas sim do barulho que ele faz ao chocar com o chão, borrava-me toda e depois tinha um brutal AVC porque aquilo parecia um trovão elevado ao infinito, cum carulho que até me benzo.
E para quem não sabe eu tenho imensa cagufa de trovoada, é verem-me a correr para debaixo dos lençóis e/ou à falta disso agarro-me ao braço da primeira pessoa que esteja ao meu lado, seja ela conhecida ou não, eu não quero é ir para baixo dos torrões sozinha... se eu for, levo alguém comigo!

Teorias a dois

E no dia de S. Valentim diz o Abade para mim:
- "Tu e o Yoshi deviam ter entrado no concurso O Cão Mais Parecido com o Dono na PetFestival."
- "Ah sim? E ganhávamos pela beleza, não é?"
- "Não. É que ambos arrotam que nem uns porcos."
E pronto, este foi o expoente máximo de romantismo neste dia.

Crazy much???

E apercebi-me hoje que gosto de ver os créditos finais dos filmes para ver se encontro algum português perdido lá no meio daquela salganhada de gente e a verdade é que encontro sempre algum.
Aquilo é tipo sopa de letras mas ainda mais complexa (e rápida para caraças) e com o bónus de que quando se chega ao fim se olhar para uma parede branca desato a alucinar com jesuzes e ovnis que aparecem na parede.
Isto é excesso de tempo livre nas férias, é o que é!

Didi e a saga da autoridade

Comprova-se! Eu tenho uma atracção fatal por jovens moços da PSP. Sou mandada parar por dar cá aquela palha; ou é porque passo vermelhos, ou porque venho com as luzes desligadas... enfim, merdices! Mas hoje foi a minha primeira operação Stop (eu chamo-lhe operação AVC, que foi o que eu ia tento) e como todas as primeiras vezes em tudo estava completamente borrada!

Oras que vou eu a entrar na rotunda e vejo logo os xôres doutores ali com uma lanterna que me cegava a vistas a piscar para os carros, o carro que ia à minha frente é mandado seguir mas quando chega à minha vez toca de encostar o chaço aí ó mula, ainda por cima o Twingo tem uma direcção de 230KG que para tentar virar o bicho a cinco à hora quase que me cago toda.
Lá encosto o twingonaítes e o jove pede-me os documentos e eu desato a tremer que nem varas verdes passo-lhe o cartão MB mas ele lá me elucidou que precisa apenas da carta, do cc e do seguro e depois seguiu-se mais umas das conversas parvas que eu tenho quando sou abordada pela autoridade.

- "quem é aqui o senhor que lhe paga o seguro?"
- "ah... é o meu avô, sabe que a vida 'tá mal e tal..." 
- "olhe que ainda tem muita sorte que alguém lhe pague alguma coisa."
- "eu sou assim... mas já me disse que este ano eu é que tenho de inchar com o guito... forreta."

E o rapaz esbugalha os olhos e desmancha-se a rir, passou-me tudo para as mãos e disse-me para seguir caminho e conduzir com cuidado... não me chamou à atenção de eu ter um farol fundido e eu ainda meti a cabeça de fora e disse ao colega "atão boa noite, 'tá bem? até á próxima!", mais uma vez fico admirada como é que não me põem o balão nas beiças porque eu nunca tenho discursos coerentes quando tenho a autoridade ao pé de mim... credo, pareço uma parola!

Coisas do arco da velha

Não é por nada... mas eu acho que existe algum ser invisível cá por casa que adora fornicar-me o juízo!
Maneiras que antes de ontem (na segunda feira) de manhã, estava eu a por-me toda catita para ir trabalhar quando meto a lente de contacto no dedo e levo o dedo ao olho para a por e de repente PUFFF!
A lente do nada desapareceu! Mexi e remexi em tudo minhas fufes, TUDO! E não a encontrei. Cheguei ao ponto de até olhar para dentro das pantufas não fosse a malandra estar lá e nada...
O Abade foi-me por ao trabalho porque eu ODEIO andar de óculos, sinto-me um burro com palas nos olhos e só me apeteceu chorar o dia inteiro! Demos novamente uma volta na wc à noite e nada... hoje ao limpar a casa de banho agarro no frasco do desodorizante e vejo uma coisa colada... era a puta da lente!
Expliquem-me como é que demos duas voltas a fundo e não a encontrámos??? Mexemos em TUDO!
O frasco é transparente e meio azulado, a lente é transparente e lá se ficou... estava rija, encarquilhada, seca... rezei um terçinho e meti-a dentro do líquido desinfectante a ver se a gaja ressuscitava e bem-dito seja o líquido que mal tocou nela ela ficou mole como a gaita dum velho!
Estou tão feliz... sentia-me tão miserável de óculos que nem vos digo nada! Só me apetece ir tirá-la do líquido e dar-lhe beijinhos, mas sei que ela já sofreu que chegue e só quer é vir-me pró olho.

E o mundo desaba à minha volta

Quando a meio da condução da minha mãe reparo no ar pensativo e preocupado dela e pergunto-lho o que é que ela tem ao qual me responde "sabes filha, pensei que um carro em ponto morto andasse mais".
Pummm... por momentos esqueci-me de respirar e relembrei à minha mãe que o ponto morto não é uma mudança e que o carro anda consoante a velocidade com que ia e com a inclinação do piso, ela acena com a cabeça concordante mas diz-me cinco minutos depois "podes ter muita razão, mas eu continuo a achar que devia andar mais"

E o resto do caminho até casa fui agarrada à porta com medo do que me pudesse acontecer.

Sonhos d'uma vida!

'Tá bem que o Mcnamara tem-nos no sítio, os tomates claro, porque está visto que o cérebro foi fazer uma longa viagem e concordo que a Nazaré é uma vila bonita e essas coisas... mas é uma vila piscatória e eu acho que temos capacidade para mais e teríamos mais projecção mundial se a Nazaré fosse uma vila pichatória!
Temos palco para gente de qualidade só falta o investimento! Teríamos turismo grosso e temas de conversa interessantes sem ser a vida da vizinha de cima e o terço que tem que ser rezado às 11h, eu já consigo imaginar as pichas de 30 metros a sair da água (até já as cheiro), pichas a brotar nos canteiros dos moradores, pichas a secar ao sol à beira da praia e os vendedores a gritarem "olhá pichota rijinhaaaa".
Até porque temos gente de classe por esse planeta flora que subiu a pulso e a conada e que devemos aproveitar, olhem a Erica Fontes! Teria um palco de luxo ao seu dispor em vez de ser obrigada a emigrar (coitada) para conseguir ser considerada uma puta de cinco estrelas... poderíamos criar êxitos ainda maiores do que o Exterminador do Pau Duro, Enterra a tua Biela no Meu Cilindro, Jorrada nas Estrelas e Jurássico Peitos, teríamos sim a "Pichota Branca: Perigo em Alto Mar" ou a "Picharanha"!
Fica a ideia para o projecto, agora só espero que me paguem os créditos caso isto avance!