Teorias a dois

Acabar de ver um filme chato como a potassa, levantar-me para ir para à cozinha e o Abade dá-me uma mega vergastada na peida enquanto me chama de nalguinhas, olho para ele de esguelha e sigo. Chego à cozinha e lembro-me que tenho de voltar à sala para ir buscar a cama do Yoshi, torno a passar pelo Abade que me torna a espetar outra galheta enquanto me diz "Ah! Afinal gostas de chapadinhas na nalga, minha nalguinhas até voltas atrás para repetir a dose"
E eu fico a esfregar o rabo que ficou a papejar com a dor e a pensar se este gajo bate bem...

E é isto por aqui...

Ainda continua o céu escuro com chuva e ventinho à mistura. Os meus avós ficaram sem estores numa janela, caiu um ramo de uma árvore em cima do carro ao lado do meu, tudo boas notícias... O que me vale é que estou de folga o que pelo menos me ajuda curar a gripalhada que ainda tenho, felizmente já estou melhor; o ouvido já meio que destapou, o nariz já tem menos 95% de ranho, a tosse já só me ataca de manhã quando saio da cama ou à noite quando a temperatura desce... tudo se compõe para estar outra vez saudável.

A única coisa que me está a chatear a cornadura é ter novamente herpes (terceira vez este ano) e desta atacou-me novamente em força e parece que tenho as beiças de um cabo verdiano... a febre levou-me mesmo às últimas as defesas e eu continuo a recusar-me a ir ao médico porque não há ninguém mais teimosa que eu!
O bom disto tudo é que quando chegar Fevereiro dizem que vem aí uma gripe tão forte que toda a gente vai estar doente, toda a gente menos eu, claro está... porque já a apanhei.
Que filha da putice, amanhã apareço assim no trabalho e lá vai andar toda a gente a pensar que sou uma leprosa, ó vida...

Rinomer, ainda vais ser a minha desgraça

Pois que tenho a agradecer a esta maldita gripe o facto de ter acrescentado a surdez à minha lista interminável de maleitas que não descolam de mim. Como se isso não bastasse já torrei para aí uns 50€ em merditas na farmácia sendo que a última foi o maldito Rinomer que sempre que o uso para limpar ranhos e afins sinto-me a nascer novamente acabadinha de desbastar o pipi da minha mãe cheínha de muco nas trombas.
Podiam-me ter avisado para não carregar com tanta força naquela bodega de pressão porque o líquido bateu-me no cérebro, fez ricochete no olho e escorreu garganta abaixo enquanto eu sufocava e me babava por todos os lados. Tenho até a sensação que o olho direito saltou da órbita porque o gajo está um bocadinho de banda e não é costume ele sempre foi bem comportado.
Tudo isto era facilmente contornável se eu fosse ao médico, mas como já sabem tenho uma relação ódio-morte com o meu médico de família e se o vejo à frente obrigo-o a tomar estricnina.
Rinomer, só de pensar que daqui nada tenho de te ir enfiar nos meus buracos nasais dá-me vontade de chorar... E não há meio de me alivires a pressão do ouvido meu grande cabrão!

Ser Didi é...

Andar constipada para burro de tal forma que o homê decide servir de meu motorista privado com medo que eu me espete na primeira parede ao primeiro espirro e vou eu no carro a falar com ele quando sinto uma langonha pegajosa a cair-me no céu da boca e desato aos guinchos:
"É uma escarreta Mister, é uma escarreta, uma escarreta, uma escarreta, ajuda-me que é uma escarreta" abro o vidro a cuspo aquilo o mais longe que os meus pulmões me permitem e quando chego ao destino saio porta fora e vejo que aquela nhanha nojenta nem um metro para a frente andou e ficou pegada deste a porta do pendura até meio da porta do passageiro de trás.
O que vale é que durante a tarde choveu p'ra burro e lavou-lhe o carro...

Olha mais uma...

Ainda continuo viva, apesar de continuar a tossir que nem uma tísica ainda cá continuo firme e hirta pois de mim não se livram tão facilmente.
Pois é minhas fufes, isto não anda fácil! Ainda só vamos com 12 dias de 2013 e eu já não o posso ver à frente desde que o ano começou nunca tive tanto azar junto de uma só virada.
Mas hoje trago até vós mais umas aventuras do mundo automobilístico twingístico da Didi. Pois que lá vai a Didi para a sua labuta diária a ouvir Rammstein quando de repente deixo de ouvir em estéreo e passo a ouvir em mono... pumbas... a coluna do lado esquerdo pifou, não me dei por rendida "queres avariar, avaria minha pega mas eu ainda vou curtir mais uma musiquinha até chegar" e toca de meter o volume no máximo para compensar a ausência de som do lado esquerdo... lá vou eu, cavaleira do asfalto a curtir a música quando de repente passo por um buraco e a coluna desata a funcionar... levei uma chapada de barulho de tal maneira que até mandei uma pézada do acelerador que me ajudou a chegar mais rápido ao trabalho... claro que quando lá cheguei os meus colegas estranharam os meus olhos esbugalhados (do cagaço) e o facto de eu estar meio surda e até tiveram pena de mim porque acharam que se eu estava assim era por causa da gripe... e eu também não os desmenti.
Agora a sério... parem-me com esta tosse que eu já estou mesmo cansada e dorida.

Karma, karma, karma, kabrão!

Neste momento a minha mesa de cabeceira apresenta-se nestes preparos! A bem dizer, pareço uma velha!
Lembram-se que na publicação anterior eu excomunguei o cabrão do meu médico de família?! Pois bem, lá o karma decidiu achar que eu não tenho razão e deu-me uma gripe, tão grande, mas tão grande que fui obrigada a faltar ao trabalho antes de ontem porque tinha tantas dores no corpo todo derivadas de tossir duas noites e dois dias consecutivos que parecia que tinha acabado de parir um cavalo, mal conseguia andar toda torta, falar era aos sussuros e era ranho a escorrer do nariz tal e qual a bica da fonte.
Hoje já estou um bocadinho melhor graças às benditas drogas que a indústria farmacêutica criou e neste momento encontro-me sentadinha no sofa, com a mantinha em cima das pernas, 4 gatos em cima de mim e eu com um gorro enfiado na cornadura porque quando estou engripada tenho frio nas orelhas.

Com isto tudo, tenho a dizer que o meu saquinho de água quente subiu de categoria e neste momento já não se encontra aos meus pés durante a noite, mas sim junto à minha barriguinha e hoje finalmente dormi uma noite em paz abraçadinha ao meu saco de água fofinho e quentinho.
E ainda vos digo mais, como se não bastasse a gripe ontem voltou-me a aparecer um mega herpes na beiça, enquanto o que me apareceu no dia 1 foi um mini-herpes este aqui promete rebentar-me a tromba toda... estou fodida com isto tudo!

Ode ao médico de família

Médico de família... odeio-te!
Tu que nunca que te interessaste pela minha saúde nem da minha família nem dos utentes do SNS e para passares umas análises ao sangue foi preciso quase te partir os cornos como uma cadeira pois para ti pessoas de 20 anos não precisam de análises ao sangue pois o corpo regenera-se sozinho e eu com uma bruta anemia (tens de me dizer onde é que tiraste medicina); tu que quando te pedi análises à urina porque ardia-me imenso dar uma mija tiveste a lata de me dizer que é normal sentir isso quando se começa a vida sexual e acabei por ir parar as urgências com uma infecção urinária já a atingir o rim... tu que te borrifas para os teus pacientes do SNS quando vi uma entrevista de doentes da freguesia ao lado da minha a dizer que te adoravam que eras super preocupado e até ias a casa das pessoas e tudo... apeteceu-me, sei lá... bater-te com a balança do teu consultório até fazer os 0 aos 100kg em 2 segundos.
Sempre foste assim, um médico preocupado a quem te paga pelo privado.
Médico de família... odeio-te profundamente!

Que neura!

Comprei em princípios de Dezembro um tampo para a sanita todo giro de loiça brilhante e hoje reparei que a dobradiça metálica que suporta e junta o tampo de cima ao de baixo está partida e agora sempre que queremos baixar ou levantar o dito ele desengonça-se todo, para não falar que sempre que sentamos a regueifa aquilo foge debaixo do cú deixando-nos com a sensação que vamos borrar a casa de banho toda.

Pensei ir ao Aki reclamar para trocar mas acho que não há legislação que abranja a parte sanitária e o mais certo é dizerem-me que não pois violaria as regras de higiene (cócós de merda).
E mais! Uma das coisas que eu mais gosto de fazer é limpar a casa de banho! Adoro esfregar aquela merda toda com lixívia (até mordo o lábio com o prazer que me dá) e depois com líquido cheiroso e ver as loiças ali a reluzir e fico com a sensação de dever cumprido. Poderia chamar um dos funcionários para vir cagar cá a casa para comprovar que o tampo está impecável que mesmo assim não mo trocariam. Que cabrões!

Mas o que me deixa mesmo chateada (para além do dinheiro porque ele foi caro para burro) é que não consigo ter os meus 15 minutos de leitura em paz porque tenho de estar constantemente a encontrar o equilíbrio, tem a sua piada mas às páginas tantas já cansa.

Há aí algum doutorado em legislação cagatória que me ajude?

Didi e o xôr Agente!

Eu admito! Eu sou uma granda condutora! Tanto que fui recentemente promovida de maçarica amadora a maçarica profissional o que demonstra o meu espectacular progresso nas artes da condução.
Maneiras que estou eu a sair do parque de estacionamento depois de 8 horas de trabalho quando a minha colega que ia a conduzir atrás de mim me faz sinais de luzes e eu, experiente condutora, ligo os 4 piscas e faço-lhe um manguito.
Passa outro colega por mim, ultrapassa-me e desata a fazer uns sinais manhosos com as mãos, eu brincalhona como sempre, faço-lhe um manguito e sigo caminho.
Estou quase, quase a chegar a casa e já a sentir a minha roliça peida no sofá quando o Xôr Agente lá à frente me manda encostar e pergunta-me;

- "B' noite xôra condutora! A xôra condutora por acaso vê bem?"
- "Olá... ãhnn... epá por acaso sim, vejo bem mas porquê?"
- "É que a xôra condutora vinha com as luzes apagadas desde lá do fundo."
- "Pummm... agora é que me fodeste" - pensei eu - mas num discurso embrulhado lá lhe consegui dizer que trabalho a 5 minutos de casa e que a minha casa era aquela mesmo ali à frente e que eu ainda estava de farda como ele podia ver... não sei como é que após um discurso que parecia claramente duma pessoa bêbada ele não me mandou soprar no balão e espetou-me uma multa, ao invés, disse pacientemente para ligar as luzes e seguir caminho.

Tive mesmo para lhe dar uma beijoca de obrigada.
Só depois daquilo tudo é que tive consciência que o que os meus colegas me queriam avisar é que eu estava sem luzes... e eu a manda-los pro caralhete, é bem!

Já começamos mal

Sabes 2013 quando te vi no outro dia pensei mesmo que eras tu, tu serias aquele ano que eu pensava que ia dar-me tudo e mais alguma coisa e realmente deste, no entanto, talvez não me tenha explicado bem sobre aquilo que queria mesmo.
Um emprego a ganhar um absurdo de money, um Abade que finalmente me desse prendas de jeito, uns vizinhos mais silenciosos (se bem que esta parte se resolvia com o absurdo de money) mas ao invés disso deste-me herpes na beiça no dia 1 de Janeiro, deste-me uns cabrões duns clientes no dia 2 de Janeiro e eu até já tenho medo do dia 3 de Janeiro porque há bocado enquanto estava a estacionar o carro de marcha-ré ouvi um barulho estranho e com a sorte que tenho amanha tenho um pneu furado.

Olha 2013 se é para começares armado em parvo não falo mais contigo!

Bye 2012! Hello 2013!

E lá se foi o 2012 e ainda bem pois não me vai deixar saudades nenhumas, ora então balanços do dito ano:

Fiquei mais velha um ano;
Acrescentei o Bill à gataria.
O Abade foi operado à peida (ao tal cisto pilonidal);
As finanças enganaram-se na nota de liquidação do IRS e pediram-me a devolução de 580€ que "supostamente" se enganaram (estranho terem feito isto a bastantes pessoas);

E... basicamente foi só isto. Foi um ano assim-assim, um ano morno e um bocado chato, por isso, espero que o 2013 seja mais engraçadito e que consiga cumprir algumas das resoluções que tinha para 2012 e que nenhuma foi feita.

Feliz 2013!