A saga continua...

Puta!

Lá veio a minha rica vizinha tocar-me à porta (outra vez) a dizer que ando a arrastar móveis à noite (outra vez), que já se queixou à administração (outra vez), e que já chamou a polícia (outra vez).
Isto já andava muito silencioso para estas bandas, maneiras que ela cá tornou a marcar a sua presença.
Das três uma:

Ou são os gatos a raspar na cagadeira a enterrar os croquetes, ou o Abade a roncar, ou o Abade a lançar os seus mega peidozorros à noite...
Ai Abade, Abade... que é preciso meter-lhe uma almofada na cara e uma rolha no cú para ver se tenho paz e sossego!

Alheiras de Mirandela

Vós que procurais a resposta para a cura das olheiras na internet e nas mezinhas, desistam da vossa procura que isso aí é pior do que convencerem-me de que a razão não é sempre minha (porque é)!

Para ingénua já cá ando eu, que acreditei piamente (ai Didi, tas com uns termos tão à Luís XV) quando me disseram que mijar para as mãos curava as frieiras, que raspar com a língua numa parede picada curava as aftas, que aguentar mel na língua sem o engolir por-muito-que-se-babassem também curava as ditas aftas e outras coisas que tais.
Também eu andei envolvida na pesquisa dessa cura milagrosa para acabar com as desgraçadas, tanto pesquisei que descobri que toda a gente falava que o creme pró hemorroidal tratava as ditas.
Oras, claro está… Didi insana, alucinada e imitadora como é foi logo a correr à farmácia aos pulinhos e aos saltinhos entrou e disse: “Ó jeitoso, dá-me daí algo prás alcagoitas que eu tou aqui nem me posso sentar em cima da bilha”…

Pronto… vá…O que eu disse foi mais deste género:

- “B-B-Boa tarde! Queria um tubinho de Hilexin para tratar as hemorróidas…”
- “É para si?!”
- “Não, não. É para o meu namorado, coitado… apareceu-lhe isto agora. E no talãozinho pode por o nome Abade da Silva.”

Tá claro que não ia dizer que o creme para as hemorróidas eram na realidade para as alheiras, porque em vez de sair da farmácia para casa, saia era da farmácia para um consultório de psiquiatria ou para o Júlinho de Matos, assim quem ficou com a fama de enrrabado foi o Abade, que se fudeu.
Depois de um mês a espalhar aquele creme com aroma de mata-moscas e pegajoso como uma escarreta de manhã e à noite as gajas lá continuavam, por isso se querem uma cura milagrosa atirem com uma bela trouxe de pescada no trombil e ficam com a cara toda negra que ao menos desvia a atenção das olheiras!

Eu vou mazé meter o meu currículo pró S.I.S. que eu sou uma campeã das investigações!

Oléééé

Homem: Calmos e tenazes, mas é só de aparência porque são invejosos e teimosos como os cornos que têm na cabeça (mas no verdadeiro sentido, porque são muitas vezes encornados por serem péssimos no sexo). Comem que nem umas bestas e de boca aberta.

Mulher: São umas vacas.

Pronto, com isto das mudanças do signo toda a gente mudou menos eu!
Maneiras que fiquei encalhada com estas descrições sobre o meu signo!

Apara mazé isso!

Só para informar que estou cá com uma bigodaça de meter respeito à Padeira de Aljubarrota!

Aliás, com a força que o meu bigode tem nem que viessem 153 espanhóis que só a visão da sombra que isto proporciona os assustava!

Didi, a anti-social

Revoltei-me!

A revolta do 12 de Janeiro de 2011 irá ficar para sempre nos anais da história como o dia em que eu apaguei o meu perfil do Facebook.
Aquilo é uma putaria pegada, e putaria por putaria tenho o meu dia-a-dia que lido com cada vacarrona que mete a Cicciolina a um canto!
Até porque eu já estava a ficar um bocado dependente do Facebook ao ponto de estar a cagar e a aceder para ver actualizações e a comentar em pleno acto obreiro!

E outra côsa que me tá a revoltar é aqui o layout do blog, tá-me a fazer confusão aos olhos quando entro... as cores tão-me a fazer confusão.
Acho que vou mazé enfiar um dedo no cúe para ver se me acalmo um bocadinho que eu estou muito stressada!

Fückens!

Como é que será que vocês se sentiriam se ao fim de oito horas de trabalho e hora e meia de viagem chegassem a casa e vissem um rasto de destruíção que vos leva ao vosso rico canito?!

Hipótese a) Partiam o chapéu na cabeça do cão;
Hipótese b) Partiam o chapéu na cabeça do cão e ainda lhe davam um pontapé na peida;
Hipótese c) Respiravam fundo, chamavam uns quantos nomes ao cão e pensavam "poderia ser pior".
 
E como é que se sentiriam se depois de limparem a javardeira toda que ele fez, se lhe pusessem a trela saissem porta fora e quando fechassem a porta se apercebessem que deixaram as chaves dentro de casa e que a outra pessoa que tem as chaves só saia à meia-noite?!
 É desta, é desta que vou parar ao Miguel Lombarda!

Venha a nós o vosso pau!

Já perdi a conta a quantos cabos de chapéus já perdi à conta da bocarra do Yoshi.
Aquele cabrão para além de me dar conta das ombreiras e praticamente de tudo o que é móvel e imóvel agora achou por bem destruir-me os chapéus.

Vou dar com eles a agonizar no meio do chão, na bagageira do carro todos exauridos a dar as últimas e a pedir misericórdia!
Decidi então ir ao Contenente comprar outro, larguei 9,99€ mas trouxe um chapéu que aquilo é uma categoria. A manápula onde a gente agarra é coisa é tão macia, tão macia mas tão macia que ia jurar que é feita de pele de pixa!

Só de tocar naquilo fico logo com pensamentos prevaricadores.
Estou a pensar seriamente em fazer um Knut de Abade e por na minha cama nas noitinhas mais frias aquele meu chapéu feito de pele de pixa às bolinhas roxas!

Mas que belo pau que aquilo tem, sim sanhora!!!