Este gajo dá-me gazes!

Quem conhece o Abade sabe bem a desgraça de esfomeado que ele é, e para quem não o conhece eu vou fazer aqui um breve resumo do que eu passo com este sub-nutrido (coitadinho).

Ora, o Abade é daquelas personagens que come que nem um alarvo e por mais que a gente pense para onde é que vai aquela comida toda nunca conseguimos saber a resposta. Come que sa farta e depois ainda fica a olhar para o prato alheio com olhinhos de carneiro mal morto.

Depois há alturas em que ele me diz muito sério e com ares de quem passou fome:

"Sabes o que é que eu almoçei hoje?"
"Não sei e até tenho medo de saber, mas vindo de ti deve ter sido para aí um boi."
"Não, não! Então comi: Uma sopa, dois pratos bem recheados de esparguete à bolonhesa, uma tijelona de salada, pão, três mousses, duas peças de fruta e ainda fui pedir ao cozinheiro um iogurte natural."

Mas há coisa de uns dias, o homem vinha a mirar-se no espelho do elevador e a fazer força na pança para a empurrar para fora (de maneiras a que parecesse um gajo prenho) e dizia-me muito tristemente "Tenho que começar a fazer dieta", ouvi aquilo e fiquei logo com as orelhas em bico e a fazer continhas à vida e nos 50% que eu tinha de direito da casa. Ah pois... porque se um esgalgado como ele anda a pensar em dietas das uma uma, ou virou panilas ou então já anda a abrir caminho para me enfeitar, tamos bonitos tamos.

E no outro dia o moço chegou-se ao pé de mim todo orgulhoso e diz-me de peitaça inchada:

"Sabes... hoje comecei a fazer dieta."
"Ai sim? (parelha de cornos já metida, certamente) E como é que fizeste esse milagre e sobreviveste para o contar?!"
"Então, não comi a sopa. Parece que não, mas já estou a fazer progressos."

E prontes... se tivesse colhões, os gajos tinham-me caído ao chão, um carro iria passar-me por cima deles e depois vinha um cão e agarrava nos tomates e mordia-os todos... tudo para me moer ainda mais a alma.
Claro que o Abade e as suas mirabolásticas conversas dão-me logo a volta à tripa e antes que eu me começe a desgazeificar ao pé dele fui à casa de banho... e só aí é que descobri onde é que ele enfia toda a comida.
Ó minha gente... aquilo era tanto cagalhão a boiar tal e qual o pessoal do Titanic a boiar no Atlântico, quase que dava para andar à pesca desportiva.

Descobri também que o Abade tem o dom de cagar super-cagalhões com poder de imortalidade que não vão ao fundo nem com quatro puxadas de autoclismo e três de baldes de água em cima.

Eu já não sei o que faça, certamente um dia destes tenho a minha amada vizinha a queixar-se que lhe estão a cair cagalhotos do tecto... eu sei lá... sei lá.

Sabes que estás EXTREMAMENTE queimada quando...

Tocam à campainha do trabalho e digo: "Tou?!"
E toca o telefone e digo: "Quem é?!" e responde-me o patrão do outro lado "Você sente-se bem?!" E eu desato a rir que nem uma perdida.

Nunca mais sou reformada, estou a ponderar seriamente, assim como quem não quer a coisa... atirar-me para a linha do metro e ficar sem uma perninha para ser reformada por invalidez, porque eu não aguento ter de trabalhar mais 24 anos para ser reformada.

In-diana Jones e o Templo da Passadeira Perdida

Como todos já sabem, eu sou uma grande cusca... o que não sabem é que para além de cusca também sou uma granda burra mas com manias de ser inteligente.

Ora então, descobri há coisa de uns dias que o senhor meu patrão têm uma passadeira no escritório (aquelas coisas que servem para fazer exercício, mas que para mim são objectos de pura tortura).

E então, como eu sou uma pessoa muito dada ao exercício dei por mim a ter pensamentos algo pecaminosos com a passadeira e decidi experimentá-la. O que é que eu fui fazer... bem que a minha colega P. me dizia "Tá quieta moça! Tu és maluca! Ainda te matas.", claro que como casmurra que sou fui com a minha avante e ai de quem me contrariasse, ainda levava com uns alteres de 5kg (que também descobri lá) no focinho.
Liguei aquilo e comecei a caminhar, e pensei cá para os meus mamilos "Epah, mas isto é muito fácil, as gajas que andam no ginásio a fazer passadeira são mazé umas fracotas" mas como para além de ser burra tenho mais olhos que barriga achei por bem por aquilo no máximo.

O que é que eu fui fazer meus filhos?! Ó caralho... eu quase levantei vôo e ao mesmo tempo quase que afocinhava com os dentes no contador de kilómetros, eu sei lá... se não me agarrasse com toda a minha força vital nos ferrinhos de apoio da passadeira eu juro pela minha saúdinha (que já não é muita) eu voava dali e ia bater com os costados na parede, batia com a cabeça na passadeira e o com o andamento que aquilo tinha ainda me fazia um brushing ao cabelo em 5 segundos.

Consegui fazer a proeza de correr 1 miserável minuto e ficar toda rebentada para o resto do dia, maneiras que estou aqui a contar os dias para o bossingas faltar um dia para eu experimentar aquela preciosidade novamente, porque foi bom djimáis.

Pedrocas, Pedrocas...


Hoje vamos à catequese falar do S. Pedro.

Sei que não é muito de mim falar de religiões e coisas que o valham, mas acho que hoje é um bom dia para falar deste senhor.

Ora... o S. Pedro é Sportinguista ferrenho!
E demonstrou-o hoje ao fazer um tornadito ali ao pé de Santa Apolónia (que é como quem vai para coiso, mas é antes)... o gajo já devia tar farto de ouvir os lampiões falarem falarem e toma lá mazé uma ventania nas trombas e pode ser que, com sorte, levem com chapas de zinco ou árvores nos cornos e aí ficam sem piu.

Eu até sou solidária com o Pedro (sim, sim... eu sou, tu-cá-tu-lá com o gajo) porque no trabalho só não mandei certas e determinadas pessoas para a senhora que os pariu porque hoje até acordei com a minha personalidade educada.

O que não gostei, foi que o Pedrocas me fizesse apanhar molha à hora de saída... o que quer dizer que quando me vier pedir favorzinhos bem que se pode agarrar à pichota que eu não o ajudo.